MENU

CASAMENTO, PENSAR POR DOIS

Martha F Bueno | Para Refletir | | 23 de Janeiro de 2022 às 16:33 hs

CASAMENTO, PENSAR POR DOIS.

O CASAMENTO é instrumento de Deus para transformação/ santificação (Efésios 5.23-28), mas para o mundo é prisão. Há quem acredita que existe a pessoa que "vai dar certo", a pessoa que "combina", a pessoa com "coisas em comum". Mas a verdade é: se você não estiver disposto, nada dará certo. Precisamos entender, "síndrome de Gabriela" é ilusão, não nascemos assim, não fomos sempre assim e nem seremos.

O ser humano vive num estado de mutação continua. Durante o casamento, muitas coisas mudam, nós mudamos. Tem gente que muda pra melhor, e gente que muda pra pior. Depende de você! Aquilo que era em comum, pode não ter mais nada em comum. Aquilo que combinava, pode não combinar mais. Mas o fazer dar certo só depende de NÓS/ VOCÊ/ MIM.

Consenso é a ferramenta que sempre precisamos carregar na "bolsa do casamento". É necessário entender que é preciso se dispor a conversar, ouvir e muitas vezes ceder. Isso não significa que estamos presos ou que perdemos a liberdade, significa que estamos dispostos a amar e zelar, e nisso entra também o perdoar.

É claro que há casos e casos. Existem situações que impedem a continuidade do compromisso, uma vez que um dos cônjuges já quebrou a aliança. Mas como podemos definir o que é quebra de aliança? Adultério é quebra de aliança. Na Bíblia vemos que o único motivo tolerável para o divórcio é a traição, e que se houver divórcio sem que isso tenha ocorrido, casar-se com outra pessoa também é considerado adultério (Mateus 5.32).

Bom, mas o foco dessa mensagem é: tudo depende de MIM. Logicamente, não existe o casamento perfeito, mas se você pensar no casamento como prisão, prisão ele será. Entretanto, se você entrar no casamento com o consenso no bolso, disposto a entender que você, assim como o (a) seu (sua) parceiro (a), é um ser humano numa condição de mutação, você terá consciência de que a sua atitude costumeira pode ser um problema e que você pode mudar essa atitude tanto para o seu bem quanto para o bem de seu cônjuge. E assim você estará graduando no primeiro processo do relacionamento. Isso serve tanto para o relacionamento conjugal, quanto para os demais relacionamentos: pais e filhos; irmãos; colegas de trabalho; etc.

Porém, nesse processo existe um ponto muito importante: a mudança precisa começar da cabeça, e não da atitude. Começando-se pela atitude pode resultar num sentimento de aprisionamento e opressão. Por isso, antes de tomar qualquer atitude, precisamos refletir e entender o porquê de decidirmos mudar. Nesse porque precisamos visar se aquilo que desejamos é bom para os dois. Se estamos pensando só em nós mesmos já estamos no caminho errado. Casamento é saber pensar por dois, e o número aumenta na medida que a família cresce.

Para os que pensam: “Por isso não casarei!”, é bom lembra-los que isso serve para qualquer relacionamento. É imprescindível para o casamento, como também para um cidadão, filho, irmão, colega, namorado, e por aí vai. Vale a reflexão e também a disposição.

Comentários:

Já temos 2 comentário(s). Comente também!
Edlaine Pereira Borges Alves Cândido

Comentário de Edlaine Pereira Borges Alves Cândido

Pensar e pensar, agir e que não e justificar e não justifica. O casamento é único, ser feliz depende do outro e a mim. Nunca espera o outro p ser feliz....

05 de Agosto de 2020 às 23:20
Martha F Bueno

Resposta de Martha F Bueno

Com certeza! Pensar, refletir, agir com prudência, pedindo a Deus sabedoria, evitar justificar, comprometendo-se somente com a verdade, isso é o que sustenta um casamento. Principalmente, o "não pensar em si mesmo". Disseste tudo! Não devemos esperar o outro para ser feliz, devemos ser felizes por nós mesmos, e transmitir essa felicidade ao outro... se o outro também está comprometido, fará o mesmo. Casamento é compromisso, e não uma fase! Por isso ele é único! :) Muito obrigada por seus comentários, tia! \(^___^)/

06 de Agosto de 2020 às 17:02